Comunicação

Nova equipe do Fundecitrus irá atuar em áreas sem controle do greening

O Fundo de Defesa da Citricultura – Fundecitrus está com uma nova equipe que irá desenvolver ações de controle do greening (huanglongbing/HLB) na área urbana e rural em locais em que não é feito o combate da doença em todas as regiões do parque citrícola de São Paulo e Minas Gerais.

Os novos funcionários irão realizar ações em parceria com prefeituras e empresas para a troca de murtas e pés de laranja, limão e tangerina contaminados pelo greening, que não recebem o controle químico recomendado, por outras árvores frutíferas e ornamentais. Esse trabalho será desenvolvido em cidades e também em condomínios de chácaras e sítios na área rural.

O psilídeo, inseto transmissor do greening, ao se alimentar em pés de laranja, limão e tangerina, infectados pela doença, adquire a bactéria e passa a disseminá-la. O inseto percorre longas distâncias, sai da área urbana e chega à área rural, contaminando os pomares.

“Plantas de citros e murtas nas cidades dificultam o combate do greening nas propriedades comerciais. Desenvolver esse trabalho nas áreas sem controle é de extrema importância devido ao potencial destrutivo da doença”, diz o engenheiro agrônomo Ivaldo Sala, coordenador do trabalho.

As ações de troca das plantas são desenvolvidas por meio de visitas em domicílios, palestras para alunos e professores de escolas do município, bem como produção de materiais impressos e apoio de carros de som para levar informações à comunidade.

O trabalho vem sendo desenvolvido pelo Fundecitrus há alguns meses e já foi realizado em áreas rurais de 36 municípios e áreas urbanas de nove municípios, com a troca de mais de duas mil plantas.