Comunicação

Membros do Cosave ressaltam capacidade técnica do Fundecitrus após treinamento sobre diagnóstico do greening

De 21 a 23 de novembro, o Fundecitrus recebeu membros do Comitê de Sanidade Vegetal do Cone Sul (Cosave) que compõem o Grupo de Trabalho HLB para um treinamento sobre técnicas de diagnóstico do greening (huanglongbing/HLB). Quinze pesquisadores e funcionários de órgãos governamentais de Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai, Peru e Uruguai estiveram na instituição, escolhida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para ministrar a capacitação.

O secretário técnico do Cosave, Alvaro Sepúlveda Luque (Chile), participou do treinamento e falou sobre a atuação do organismo em relação à doença. “Temos um plano de contenção de greening e dentro das atividades estão a realização de capacitação em vigilância [Argentina] e técnicas de diagnóstico [Fundecitrus, Brasil]. O objetivo final é que os técnicos melhorem suas capacidades de análise. Para o Cosave, a praga é muito relevante, está presente em três países [Argentina, Brasil e Paraguai] e nos outros a ideia é que não se propague”, disse. Ao final da capacitação, Luque destacou o conhecimento técnico do Fundecitrus. “O curso foi muito bom, o Fundecitrus tem capacidade de infraestrutura e instrumental e especialistas com muito conhecimento totalmente abertos para compartilhá-lo”, avaliou.

O pesquisador uruguaio Rodney Colina citou a contribuição do treinamento para os esforços de seu país em prevenir o greening. “No Uruguai, a produção citrícola é grande e há alerta para a entrada da doença. Vim conhecer técnicas e experiências e o que levo é importante para o desenvolvimento de estratégias para evitar a chegada do HLB”, afirmou.

Para o auditor fiscal federal agropecuário Glauco Teixeira, representante brasileiro na comitiva, o trabalho do Fundecitrus tem sido fundamental para a sanidade e competitividade citricultura brasileira. “O Fundecitrus é uma referência para a defesa da citricultura, a instituição oferece o principal suporte para produtores de citros. Fiquei impressionado com a estrutura laboratorial e com o comprometimento e dedicação dos profissionais”, declarou.

Sendo a transferência de conhecimento um dos principais objetivos do Fundecitrus, o pesquisador Nelson Wulff, líder da equipe de diagnóstico de greening da instituição, considerou o intercâmbio promovido pelo treinamento importante para ambos os lados. “Pudemos sentir a realidade e as dificuldades dos países que têm greening e a preocupação dos que não têm em se capacitar para identificá-lo, o que mostra que todos estão atentos à doença na América do Sul e que entenderam sua importância. Conhecer as diferenças e problemas no diagnóstico faz nosso grupo crescer”, concluiu.

Tags: