Comunicação

Fundecitrus inicia sexta turma do MasterCitrus

A sexta turma do Mestrado Profissional em Controle de Doenças e Pragas dos Citros do Fundecitrus – MasterCitrus começou o curso nesta sexta-feira (20). A aula inaugural foi feita pelo professor titular do Departamento de Administração da FEA-RP/USP, Marcos Fava Neves, que abordou os aspectos econômicos da cultura de citros.

As boas-vindas aos alunos foram feitas pelo gerente geral do Fundecitrus Juliano Ayres e pelo coordenador do curso e pesquisador do Fundecitrus Renato Bassanezi. O coordenador da pesquisa de estimativa de safra Vinícius Trombin também fez apresentação sobre a demanda mundial de suco de laranja.

Além disso, os alunos iniciaram a disciplina sobre citricultura geral, ministrada pelo pesquisador da Embrapa Eduardo Girardi e a pesquisadora do Fundecitrus Viviani Marques. No período da tarde, visitaram a JBT Technologies para conhecer o processamento industrial da laranja e fatores sobre a qualidade do suco.

A nova turma do MasterCitrus é composta por 24 alunos, dos quais 19 são engenheiros agrônomos, quatro biólogos e um formado em biotecnologia. Também irão cursar algumas disciplinas, alunos de mestrado e doutorado de outras instituições de ensino como a Unesp/FCAV. 

O mestrado tem duração de dois anos. O primeiro é dedicado às disciplinas teóricas e o segundo ao desenvolvimento de uma pesquisa que contribua com o aumento da eficiência no controle das principais doenças e pragas que afetam os citros e otimize o manejo dos pomares proporcionando mais economia e sustentabilidade.

“O objetivo do curso é que os alunos se tornem multiplicadores das informações geradas pelo Fundecitrus, desenvolvam novas tecnologias e aplique os conhecimentos no campo”, diz o pesquisador do Fundecitrus e coordenador do curso Renato Beozzo Bassanezi.

Os alunos da sexta turma abordarão em seus trabalhos novas técnicas para o controle de psilídeo Diaphorina citri, inseto transmissor de greening (huanglongbing/HLB), cancro cítrico, leprose e podridão floral.

A engenheira agrônoma da Cocamar Cooperativa Agroindustrial, Amanda Caroline Zito, irá percorrer mais de 500 quilômetros de Nova Esperança (PR) até Araraquara (SP), sede do Fundecitrus, para assistir às aulas do curso. A motivação é levar novas tecnologias aos produtores locais e ao departamento técnico da empresa.

“A pesquisa que irei desenvolver será prática e aplicável no campo. O objetivo é encontrar técnicas que diminuam os gastos com pulverizações para controle de psilídeo e aumente a rentabilidade e sustentabilidade na citricultura”, afirma.

As pesquisas dos alunos das turmas anteriores que estão concluídas, podem ser consultadas no site do Fundecitrus (www.fundecitrus.com.br/mestrado/dissertacoes).