Comunicação

Fundecitrus atinge produção de dois milhões de vespinhas que fazem o controle biológico do inseto transmissor do greening

De março de 2015 a dezembro de 2017, o laboratório de Controle Biológico do Fundecitrus produziu 2.071.409 vespinhas Tamarixia radiata, inimigo natural do psilídeo, inseto transmissor do greening.

Foram liberadas 1.713.203 vespinhas em 1.092 propriedades, abrangendo 5361,16 hectares. A produção no mês de dezembro foi de 100 mil parasitoides.

Tamarixia radiata utiliza as ninfas de psilídeo para se reproduzir, matando-as no processo. Cada vespa pode eliminar até 500 ninfas. A liberação no meio ambiente não causa desequilíbrio ecológico, uma vez que a vespinha não atinge outras espécies de insetos ou plantas.

Apesar do manejo do greening realizado pelos citricultores em suas propriedades, áreas adjacentes com plantas de citros e murtas sem o controle recomendado do psilídeo comprometem a ação dos produtores na luta contra o avanço da doença em seus pomares e prejudicam toda a cadeia citrícola.

A liberação de Tamarixia radiata tem demonstrado ser uma alternativa eficiente para o controle do psilídeo nesses locais. As liberações são determinadas pelo sistema de Alerta Fitossanitário do Fundecitrus, que monitora a população do psilídeo no parque citrícola de São Paulo e Minas Gerais e indica os pontos críticos de incidência do inseto.

Para saber mais sobre o controle biológico assista ao vídeo disponível neste link: https://www.youtube.com/watch?v=eUgnOa-gvDc