Comunicação

Coordenador da Capes abre V Simpósio MasterCitrus que reuniu mais de cem profissionais da citricultura

O V Simpósio MasterCitrus reuniu nesta sexta-feira (15) cerca de cem profissionais da citricultura, no auditório da Universidade de Araraquara. O evento foi realizado com o intuito de divulgar os resultados de pesquisas do Mestrado Profissional em Controle de Doenças e Pragas dos Citros (MasterCitrus), do Fundecitrus.

A abertura do evento foi feita pelo coordenador geral dos cursos de ciências agrárias da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível Superior), Luiz Carlos Federizzi, que falou sobre: “A pós-graduação no Brasil: oportunidades para o Mestrado Profissional”.

Em relação ao mestrado do Fundecitrus, ressaltou a importância da captação prática, direcionada aos profissionais que atuam diariamente com os desafios da citricultura. “É uma oportunidade muito grande para as pessoas que estão no mercado de trabalho há muito tempo e não teriam condições de voltar para universidade e fazer um mestrado com foco acadêmico. O mestrado profissional, no formato do oferecido pelo Fundecitrus, possibilita que esses profissionais lidem com a ciência e os experimentos da pesquisa e ao mesmo tempo faz com eles disseminem os conhecimentos e os apliquem no campo”, afirma.

Federizzi possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria (1974), mestrado em Fitotecnia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1979) e doutorado em Genética e Melhoramento de Plantas - University of California, Davis (1986). Pós-doutorado Universidade de Minessota (1997).

As apresentações dos alunos do mestrado abordaram a eficiência do uso de variedade de citros superpolinizadoras na contenção de polén para estudos com organismos geneticamente modificados, da eficácia da pulverização eletrostática para o controle de podridão floral; eficácia e benefícios do uso de óleo mineral ou resina juntamente com fungicidas no controle da pinta preta em laranjeiras de diferentes idades e classes de maturação, da eficácia do uso de auxina exógena para retenção de frutos com cancro cítrico, da distribuição espacial do psilídeo e de plantas com sintomas de greening e da relação entre a população do psilídeo vetor e a incidência de novas plantas doentes no ano seguinte, da influência do clima e fontes externas de inóculo no progresso do greening e da eficácia da pulverização a ultra-baixo volume no controle do psilídeo. 

O evento contou com o apoio da Universidade de Araraquara (Uniara). Acesse o resumo dos trabalhos apresentados clicando aqui.

 

Tags: