Comunicação

Citricultor transformou área abandonada em pomar produtivo em Guaraci

Há somente cinco anos na citricultura, Janderson Bortolan transformou uma área abandonada no município de Guaraci (SP), com plantas de citros doentes e sem controle fitossanitário, em pomar com 25 mil árvores sadias e produtivas.

"Decidi entrar na citricultura, pois a nossa região sempre foi muito tradicional na cultura. Quando adquirimos a propriedade, ela era composta basicamente por pastagem e um plantio muito antigo de laranja, com cerca de 20 anos. Renovamos a área e temos plantado todos os anos, com maior adensamento e porta-enxertos de qualidade. Seguimos à risca a cartilha de controle e manejo das doenças e pragas e isso tem garantido resultados satisfatórios", afirma o citricultor.

Na mais recente expansão, há seis meses, houve o plantio de seis mil árvores adensadas. A motivação para o aumento da plantação foi a boa produção do pomar nos últimos anos e o controle eficaz das doenças, principalmente o HLB, que não chega a incidência de 0,5% na propriedade.

O controle da doença é realizado por meio do monitoramento de psilídeo em armadilhas amarelas, pulverizações quinzenais e aplicação de inseticidas sistêmicos via drench. O produtor é atento às orientações de controle regional emitidas pelo sistema de Alerta Fitossanitário do Fundecitrus e realiza de três a quatro inspeções por ano e a erradicação das plantas doentes.

Para Bortolan não há espaço para amador na citricultura, é preciso ser profissional e técnico. "Eu me apaixonei pela citricultura, é algo contagiante. O segredo é seguir o que tem que ser feito. Não se pode brincar é preciso estar sempre alerta".

O produtor acredita no futuro da citricultura e no sucesso de seu pomar. "Sabemos que será um desafio no combate de doenças como o greening, mas adotando práticas eficientes e evitando soluções milagrosas, a citricultura provavelmente terá novos rumos. Tivemos nesta safra dificuldades com as condições climáticas mas temos que conviver com essas adversidades em toda cultura. Apesar de todas as dificuldades, somos otimistas e acreditamos na citricultura e no crescimento do nosso negócio", diz Bortolan.

Confira a matéria completa na edição 36 da Revista Citricultor pelo link: http://bit.ly/28JsV9R