Comunicação

Câmara Setorial da Citricultura avança discussões sobre o plano nacional de controle do greening

O controle nacional do greening (huanglongbing/HLB) foi o tema central da reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Citricultura do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) realizada nessa terça-feira (16), em Brasília.

Os membros da Câmara abordaram a necessidade de adotar uma estratégia de controle em todo o país devido à importância da citricultura para a economia nacional. Uma estimativa da movimentação financeira de todos os elos da cadeia citrícola no Brasil é da ordem de US$ 14,6 bilhões, com uma arrecadação de mais de US$ 180 milhões de dólares, segundo estudo elaborado pela Markestrat em 2010 e atualizado pelo IGP-M. A citricultura gera, entre empregos diretos e indiretos, um contingente de 150 mil posições estimadas a partir da RAIS. Foi o segmento que mais gerou empregos durante o ano de 2016 entre todas as categorias da agropecuária no Estado de São Paulo, segundo dados do CAGED.

Na reunião ficou definido que será enviada uma solicitação formal para o Ministério da Agricultura para que seja formado um comitê de controle nacional da doença. “É necessário adotar uma estratégia de ação coletiva com parceria entre o setor público e privado. O engajamento da cadeia produtiva, com a colaboração de autoridades e órgãos competentes, é essencial para que o controle do greening se torne mais amplo e eficaz”, diz o presidente do Fundecitrus e da Câmara Setorial, Lourival Carmo Monaco.  

No encontro também foram apresentados os dados do inventário de árvores e a estimativa de safra da laranja 2017/18 do parque citrícola de São Paulo e Minas Gerais, divulgados pelo Fundecitrus na última quarta-feira (10). O relatório completo com os dados do levantamento está disponível em: http://www.fundecitrus.com.br/pes/estimativa