Em 2017, o Fundecitrus completa 40 anos. É reconfortante e, ao mesmo tempo, desafiante. Para o Fundecitrus é a oportunidade de refletir sobre a visão projetada há quatro décadas pelos citricultores e que se consolidou em uma instituição de qualidade internacional para dar suporte ao desenvolvimento de uma citricultura moderna e competitiva.
Criado inicialmente como instrumento para apoiar o combate ao cancro cítrico evoluiu – graças à capacidade de seu capital intelectual – de forma contínua e refletida, e passou a estudar doenças e pragas. Os resultados nos permitem reconhecer o acerto programático e o significativo retorno dos investimentos feitos. Fato relevante a ser considerado é a proximidade entre a geração de conhecimento e sua adaptação à realidade da citricultura, apoiada por um Conselho de citricultores interessado na modernização.
Dentro dessa premissa, uma estratégia inovadora estabeleceu o programa de biotecnologia para encontrar ou construir genótipos tolerantes ou resistentes às doenças e uma iniciativa ousada atendeu a demanda do setor para fortalecer as boas práticas comerciais, implantando a Pesquisa de Estimativa de Safra (PES) que permitiu o conhecimento do perfil da citricultura, e a previsão e o acompanhamento da safra.
O sucesso alcançado preparou a instituição para desenvolver uma visão de longo prazo para, pelo menos, os próximos 40 anos. A gestão foi continuamente conduzida para um portfólio de inovações e soluções para os gargalos previsíveis no futuro próximo. Nossas ações se caracterizaram no aproveitamento dos conhecimentos disponíveis, ampliando o capital intelectual envolvido nas pesquisas. Os trabalhos integrados com outras instituições têm como fundamento a importância de encontrar soluções benéficas aos produtores.
A política institucional, na busca por respostas aos anseios por inovações, é fundamentada nos pilares da ciência, transparência, aplicação e inovação com uma visão econômica e social. O capital intelectual foi incorporado ao capital institucional para gerar um ambiente que nos permita olhar nossa missão com visão ampliada face à realidade do mercado, caracterizada pela queda da demanda e aumento das exigências de qualidade. Por outro lado, a garantia da oferta amplia nossos desafios.
É indispensável saber produzir em condições competitivas em um ambiente de preservação ambiental e respeito aos direitos humanos. Nos próximos anos, o agronegócio de citros continuará enfrentando competição com outras bebidas. Nossa instituição precisará tomar decisões de como atender esse processo.
Do lado da demanda são necessárias ações de marketing baseado em dados científicos que coloquem o suco de laranja em patamar de bebida saudável. Como contrapartida, é fundamental o aprimoramento contínuo da oferta, com adoção de técnicas para alcançar lucratividade, competitividade e qualidade. O controle de pragas e doenças passará por aprimoramentos no uso de produtos e doses que minimizem os resíduos.
A eficiência de pesticidas precisa ser acoplada às técnicas biológicas de inimigos naturais ou feromônios. A colheita precisa de desenvolvimento de combinações que a facilitem ou a realizem mecanicamente. Os desafios para as próximas décadas poderão ser enfrentados por uma rede de pesquisadores dentro da visão pragmática que tem norteado o Fundecitrus. Estamos preparados para os desafios e trabalhando para eficácia na realização de nossa missão.
Lourival Carmo Monaco
Presidente do Fundecitrus

VOLTAR